Escrevendo para quadrinhos — O Roteiro (Parte 1)

May 28, 2017

Bem vindo(a) ao blog da narrativa gráfica Balas Contadas


O quadrinho está em fase de produção e resolvi escrever sobre o que tenho feito e aprendido. Meu plano é mostrar o progresso, desde a idéia , passando por todo o desenvolvimento até o impresso chegar na mão de vocês! Espero poder ajudar com o pouco que eu sei e que vocês possam contribuir com suas experiências pra gente aprender junto. E lá vamos nós!

 

O primeiro post é dedicado à criação do Roteiro - colocando as idéias em texto.

Vou assumir então, que você tem interesse em saber como se escreve um roteiro pra quadrinhos, ou seja, você tem alguma IDEIA e tem vontade de colocá-la no papel de maneira interessante. Escrever pra quadrinhos é diferente do que escrever um romance, por exemplo. Diferente, mas não muito.

 
Antes de tudo, vamos falar mais dessa ideia. Sua ideia é uma frase de efeito, um personagem com uma característica única, um cenário geopolítico bizarro, uma moral que ofende os bons costumes? Legal, isso pode responder O QUE tem na sua história. Quais elementos são importantes na montagem da sua história.


Agora, sua ideia é uma cena de luta na selva, um resgate que se transforma em uma história de amor, ou a trajetória de queda de um ditador?
Isso pode responder o COMO se desenrola sua história, o enredo, por assim dizer.


Mas além disso, na minha opinião, para o roteirista é importante saber SOBRE o que é a história. Não o porquê a história existe. Mas sobre o que ela é. Essa noção vai sempre conduzir o cenário, os personagens, a trama, os diálogos, para um lugar comum. 

 

Então não é exatamente: "O que minha personagem tem a dizer?".

Seria mais no sentido: "O que eu, como autor, quero comunicar?".


Entender essa diferença é fundamental pra construir uma narrativa que respeite a mensagem, independente da complexidade do tema. 

 

Resumindo em poucas palavras: 
O ENREDO faz a história ter sentido. O SOBRE, faz a história ser boa.

 

Pra quem quiser saber mais, o autor de quadrinhos Alan Moore, em seu livro Writing For Comics, dá boas dicas sobre como escrever de fato, separar as etapas e pensar na estrutura da história. Pra ele, esse primeiro passo de "entender o que quer se falar SOBRE" é crucial para a construção da narrativa e vai guiar todos os outros passos que vamos falar mais na frente.

 

Agora um exemplo prático: No Balas Contadas, eu tinha várias idéias de situações e personagens que queria escrever, mas foi só quando eu defini SOBRE o que ia ser o quadrinho, que de fato as coisas tomaram rumo.


O Balas Contadas é um quadrinho sobre o valor da amizade e perda. 

 

Então alterei textos para que essas idéias fossem reforçadas. Por exemplo, em uma cena, um personagem está numa situação tensa com o grupo de amigos e fala meio que de brincadeira e desespero: "vamos todos morrer!", quando eu defini que a história seria sobre amizade e perda, esse diálogo foi alterado
para "estamos ferrados!".

 

Se parece uma mudança pequena é porque ela é! Mas com esse detalhe, considerei a cena e as características do personagem, respeitando ainda o sentido geral da narrativa, para que quando o assunto fosse "morte", não viesse de maneira banal.


Isso pode ser explorado de várias maneiras, nos diálogos, sequências de ação e até na disposição dos painéis. A ideia não é homogenizar pra tudo ser sobre um assunto, mas respeitar seus próprios objetivos ao contar à história.

 

A seguir, vou continuar a falar de ROTEIRO — como chegar do início ao fim da minha história ?

 

E você? Qual sua experiência na criação do roteiro?

Sinta-se livre pra comentar, tirar dúvidas ou me mandar uma mensagem pessoal.
E se quiser, compartilhe!

 

Obrigado pela visita!

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

Arquivo
Procurar por tags
Please reload

  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon